A observação do meio marinho constitui uma premissa essencial para aprofundar o conhecimento sobre as áreas marinhas em todo o mundo e prever o comportamento dos oceanos. No caso de Portugal, esta missão é o foco central do Instituto Hidrográfico desde a sua fundação em 1960.

Este trabalho tem sido desenvolvido através de dois eixos principais: as ações de observação com carácter pontual ou limitadas no tempo, como as campanhas oceanográficas realizadas a bordo dos navios e lanchas hidrográficas ou as missões conduzidas em praias ou estuários com recursos a pequenas embarcações, explica João Vitorino – Oceanógrafo do Instituto Hidrográfico, responsável pela Rede de Monitorização do Canhão Submarino da Nazaré.

O segundo eixo consiste na observação permanente da evolução das condições oceanográficas ao longo do tempo, em localizações escolhidas.

O Instituto Hidrográfico implementou um conjunto de redes de monitorização com caraterísticas únicas como a rede de marégrafos costeiros: sistemas que medem as variações do nível do mar junto a costa (existem 19 marégrafos nos principais portos do continente e ilhas); e a rede de boias ondógrafo, que registam diversos parâmetros da agitação marítima e temperatura de superfície das (há três boias operadas pelo IH ao largo de Leixões, Sines e Faro).

Mais recentemente foram instaladas as redes de boias multiparamétricas e de radares costeiros HF (High Frequency / Alta Frequência).

As boias multiparamétricas são grandes plataformas multisensor que medem parâmetros meteorológicos, agitação marítima, correntes e temperatura da água a várias profundidades, além da concentração de clorofila, de oxigénio dissolvido e também o ruído no ambiente marinho.

Os radares costeiros HF (High Frequency / Alta Frequência) medem a corrente à superfície em áreas extensas do oceano costeiro até cerca de 70 km para o largo (há cinco estações que cobrem toda a costa Algarvia e a área do Cabo Espichel-Cabo da Roca).

Todos estes sistemas de monitorização transmitem os dados em tempo (quase) real para o Instituto Hidrográfico, a intervalos horários ou menores. Estes dados são disseminados para a comunidade através de vários suportes como, por exemplo, a página web institucional (www.hidrografico.pt).

Parceria institucional CCOceanos & Comur-Conserveira de Portugal

Os oceanos são a fonte de inspiração do Centro de Comunicação dos Oceanos-CCOceanos e também o palco de atuação na pesca sustentável do Grupo Comur-Conserveira de Portugal e nesta sinergia surge a parceria institucional que ora se inicia visando proporcionar ao grande público o acesso ao conhecimento sobre os oceanos.

Assim, a jornalista náutica, fundadora e curadora do Centro de Comunicação dos Oceanos-CCOceanos irá apresentar todos os meses neste portal um novo artigo sobre temas relacionados com os oceanos, em especial no âmbito da The Ocean Decade – UNESCO-COI.

O Centro de Comunicação dos Oceanos-CCOceanos é uma série de palestras LiveStream a apresentar informação atualizada acerca dos oceanos, interligando os países de Língua Portuguesa e tornando Portugal num centro de partilha de conhecimento dos oceanos.

O CCOceanos já conta com 19 Palestras LiveStream realizadas, reunindo mais de 60 oradores com diversos backgrounds profissionais.

Os vídeos estão disponíveis na Videoteca CCOceanos Palestras em:
https://www.youtube.com/channel/UCWgmZPXDwEFm8Ns8qVZA-hQ/videos

Website: https://ccoceanos.wixsite.com/ccoceanos

Share on facebook
Share on linkedin

Produtos Relacionados

Receitas Relacionadas